Possibilidades do papel

Adriana começou a expressar sua arte usando o papel como meio para seus desenhos e pinturas. De suporte, ele ganhou corpo e espaço na produção de esculturas concretas, com formas essencialmente geométricas, evidenciando a textura e iludindo o olhar de forma lúdica. As obras de destaque são os pratos de parede, bandejas e esferas.

Mas a artista tem especial admiração pelas peças orgânicas – assim define objetos com linhas sinuosas. Após uma pesquisa minuciosa em que a principal intenção era desenvolver um tipo de papel translúcido e fino como a própria pele, ela acabou descobrindo, durante o processo de experimentação, outras possibilidades e materiais inusitados para criar novas propostas com o papel.

Atualmente, o trabalho de Adriana vai além de objetos, esculturas e instalações que interagem com o espaço. Ela foca a sustentabilidade para potencializar a reutilização do papel, unindo matéria-prima e processo de produção para criar efeitos especiais, os quais são aplicados diretamente nas paredes.